AS MAIS LIDAS DA SEMANA

AS MAIS LIDAS DA SEMANA
AS MAIS LIDAS DA SEMANA

sábado, 3 de fevereiro de 2018

O HOMEM, A MULHER E O APEGO

            O comportamento do homem durante o casamento é algo assustador. Sua libido, que atravessa com galhardia os 70 (setenta) anos, encontra a tenuidade da sexualidade feminina que começa aos cinquenta anos. Isso não faz despencar todo o esperado do casamento. Para a mulher que sempre conviveu com seu ciclo pouca diferença faz o passar dos tempos, pois o homem se mantém cativo, contando com os cuidados de sua companheira que a cada dia aprimora sua visão do acolher e compartilhar suas ideias com seu marido. Manter a família unida em torno do casal levará sempre o patriarca a tolerar a redução dos momentos de carinho tão decantado durante quase uma vida.
            A mulher pensará como sempre: “O meu marido funciona como eu! A idade dele deveria levá-lo a aquietar-se, como eu!” No entanto, se sabe que a libido masculina praticamente não termina, ele “foi fabricado” para ser um inoculador. A mulher sabe muito bem disso, mas, se der consciência ao cônjuge, ele terá o que dizer, dos reclamos da esposa quando da intolerância dela ao sexo por razões do seu ciclo, nos momentos de busca ao “amor”. Dessa forma, o tempo vai passando e o homem mantém-se com sua mulher sem nenhum transtorno.
            No caso da mulher ser tolhida de suas fantasias do que seja o casamento, dificilmente ela irá manter-se junto ao seu cônjuge. Quando o cara é um sujeito vitorioso e por fatos alheios à sua vontade é obrigado a cortar certos gastos com sua esposa, ela logo ver naquilo um fracasso do casamento. Buscando motivos mil para não aparecer como culpada, diz finalmente que o amor acabou! Não é por aí. O amor de início irá crescer sempre, pois o dedicar-se a cada dia um ao outro só aumentará esse querer bem. Acontece que a mulher que vive sendo endinheirada pelo marido, investidor, e nada sacrifica por ele, só se liga pelo dinheiro e sucesso. Só se ama algo quando nele se investe tempo e dinheiro! O homem é levado a fazer mais esse papel. Toda a fantasia na época de solteiro, de possuir sua mulher a cada momento no casamento, esquecendo o ciclo feminino, e na prática não encontrar isso, não leva o homem à separação.
            Assim, por incrível que pareça, o homem, na maioria das vezes, tem o senso de família muito maior que a mulher. Claro que as exceções existem. Mas sempre escrevemos sobre a maioria dos casos de casamentos com cônjuges regulares ou que se encontram na média.

sábado, 27 de janeiro de 2018

IDEOLOGIA DE GÊNERO

       

       A forma que os LGBT encontraram para se defenderem, não sei de que, foi o movimento da “IDEOLOGIA DE GÊNERO”. Essa ideologia afirma que as pessoas nascem sem definição sexual, independente de seu sexo biológico.  Na verdade, a falta de estudo, nessa área, faz aflorar a ignorância dessas pessoas, adeptas desse conceito, na elucidação das questões sobre sexualidade dos seres vivos.
            Na reprodução dos humanos, o sexo é definido a partir da 6a semana da gestação feminina. Assim, definimos o sexo masculino e o sexo feminino  de conformidade  com a formação do pênis e testículos ou da vulva respectivamente. Uma mutação, às vezes, ocorre e surgem os hermafroditas, com sexo diferenciado dos homens e das mulheres. Resumindo só existem três sexos: masculino, feminino e hermafrodita.
            Cada uma dessas criaturas, além do corpo físico constituído pelas células somáticas e células gônadas, possui as células somáticas cerebrais, que, no homem e na mulher, definem sua conduta no uso de seu corpo junto ao meio circundante. Essas células definem o comportamento em todos os segmentos que vão desde a vontade até os sentidos sensoriais e extrassensoriais.
            No referido caso, são essas células que definem a sexualidade, ou seja, definem os gêneros. Dessa forma vão existir os homens afeminados, as mulheres masculinizadas e os hermafroditas masculinos e femininos. Cada pessoa é um ser único e tem suas peculiaridades e características, ninguém se faz, já nasce como único! Ninguém é igual e todos devem ser respeitados sem os defeitos ou as qualidades de qualquer um dos seus pares! O mundo não redefine o genótipo em poucos anos!
            Assim os LGBT já nascem feitos e devem ser vistos como qualquer uma das criaturas com seus atributos individuais e jamais devem ser estigmatizados. O companheirismo não muda o gênero das pessoas, simplesmente o aperfeiçoa pelo respeito mútuo. O livre pensar e agir de cada um deve ser compreendido como o direito à individualidade. Devemos deixar de invejar a autenticidade das pessoas e realizar bem o nosso gênero sem o desrespeito aos nossos pares! Assim, vamos deixar de cobiçar as formas de exercer a sexualidade das pessoas dentro de seus gêneros inatos.

sexta-feira, 19 de janeiro de 2018

IGNORÂNCIA E AQUECIMENTO GLOBAL

            Mais uma vez a imprensa fala dos simpósios que deverão discutir sobre o aquecimento global e suas causas. Os países mais desenvolvidos levam sempre a culpa por possuírem maior número de poluidores constituídos por indústrias e veículos automotores de combustão interna, como aviões, automóveis, barcos e tantos outros. O mundo engole de goela adentro todos os motivos expostos nessas conferências, sem questionar como se chegou a essa conclusão. A ignorância dos humanos sobre os eventos universais possibilita se culpar os terráqueos dos acontecimentos terrestres sem se tocar que o Planeta não está isolado do espaço sideral. A busca do equilíbrio do cosmos faz nossa galáxia se adequar às mudanças necessárias a essa conformação que inclui todos os corpos “celestes”, inclusive a Terra. Desta forma, mudanças pequenas de rotas e inclinação do nosso planeta em relação ao universo se fazem sentir no clima e suas intempéries, assim como nos movimentos das placas tectônicas e outros infortúnios, causando como consequência as mudanças no nosso planeta.
            Os humanos ocupam apenas 1% da área da superfície da Terra que oferece apenas 7% de sua área habitável. É impossível essa pequena população de 7 (sete) bilhões de habitantes alterar a temperatura do nosso mundo. A vaidade de serem poderosos leva os homens a imaginarem que sua capacidade de destruição está apta a alterar o destino do nosso habitat. Os humanos, é verdade, podem mudar o microclima das regiões na qual habitam, mas jamais de todo o planeta como se quer dizer do aumento generalizado da temperatura terrestre ou do aquecimento global.
            Não acreditamos que um problema já tão debatido em vários programas dos meios de divulgação falado e televisionado ainda esteja engatinhando nos saberes. É de se esperar que o objetivo de tantas discussões sobre o óbvio tenha outros interesses que devem esbarrar no consumismo de tecnologias e outros processos que venham a enganar mais uma vez a boa fé do povo. Por isso, é sempre bom questionar e não aceitar esse engodo de que a Terra está pegando fogo por culpa dos homens. Vamos ser vaidosos de nossas conquistas, mas exagero de vaidade sobre o que não conhecemos, negativo!

terça-feira, 9 de janeiro de 2018

A SABEDORIA DO IDOSO

           
           As pessoas de princípios rígidos normalmente têm se prejudicado por força de um respeito exagerado aos princípios éticos junto à sociedade. Já foram os tempos em que se temia a crítica social na forma de vestir, nas formas de distrair-se, nas preferencias religiosas, nas atitudes pessoais e em tantas outras características intrínsecas das pessoas.
        Antigamente, a forma rígida de educar dos pais ou dos mestres levavam o educando a temer a exposição de suas ideias com receio de críticas ou até castigo vindo dos seus educadores. Dessa forma, era mais fácil expor sua maneira de ser aos seus amigos e colegas, muitas vezes às escondidas, do que de forma aberta ao público que tinha convivência consigo.
         Com o evento da globalização, os responsáveis pela evolução social das crianças e dos adolescentes tomam conhecimento das atitudes educacionais em todo o mundo e percebem que a inibição do livre comportamento das pessoas é capaz de privar o mundo de novas ideias e feitos que podem ser trazidos pelos jovens. Quando não damos a liberdade do expor-se, subtraímos de nosso meio cérebros pensantes.
         Apesar de todo esse progresso social no educar, ainda ficam resquícios da época dos conceitos retrógrados de nossos antepassados. Assim, mesmo hoje em dia, existe um comportamento das pessoas que esquecem seus direitos de se respeitarem entre si em favor do respeito à sociedade, que muitas vezes critica as pessoas por desmandos da própria sociedade.
          Esse estigma social só desaparece com a idade, só o tempo é capaz de quantificar os valores da sociedade e do seu entorno. Os idosos sabem muito bem que o “faça o que eu digo e não o que eu faço” é um adágio popular consagrado pela expressão de sua verdade. “Quem desdenha quer comprar” traduz muito bem a inveja e o desejo daqueles tradicionais arraigados aos fundamentos ultrapassados e com a incapacidade de se atualizar nos preceitos sociais de hoje, vivendo a criticar aqueles que tiveram suas vidas de encanto e fulgor e até hoje colhem os resultados de seus investimentos no saber. O respeito a si próprio em detrimento do respeito social só é adquirido na “maior idade”. Os costumes têm que ser respeitados, mas ninguém deve ser fantoche da sociedade hipócrita na qual vivemos.

quarta-feira, 3 de janeiro de 2018

ALZHEIMER, COMO EVITAR

            O mal de Alzheimer tem sido estudado, mas se tem poucos resultados que definam as causas desse mal que tem atingido milhões de pessoas no mundo todo. Como sua ocorrência tem percentual maior na terceira idade, admitiram-se várias causas: vida sedentária, falta de exercício cerebral e outras omissões no viver comum dos mais velhos. O incrível em tudo isso é que outros anciões com comportamentos semelhantes não são atingidos por esse mal, sem a necessidade de mudar seus hábitos fartamente encontrados em seus pares.
            Uma análise da vida pregressa desses pacientes acometidos pelo mal de Alzheimer levou os estudos atuais à conclusão de que um sofrimento ou evento danoso no transcorrer da vida era o grande motivo para a contração desse mal. Acontecem danos pouco remediáveis quando da perda  de um ente querido ou de uma grande decepção no transcorrer da vida. Como o CÂNCER e a AIDS, o mal de Alzheimer parece ter os mesmos motivos ou causas da infestação desses males. A baixa da imunidade é fisiologicamente o grande motivo do desenvolver de um CÂNCER ou da AIDS, mas só um mal cerebral é provável levar ao desenvolvimento de um estado mental fora do regular. Como explicar isso agora?
            O mal de Alzheimer tem uma faceta diferente. Evolui rapidamente fazendo com que a pessoa desconheça o seu meio e as pessoas, mesmo as mais próximas; a memória dos fatos mais distantes do hoje é praticamente apagada e a atual pouco se fixa. A vítima desse mal vive como a meditar o nada e não reconhece o seu eu, é como se vegetasse e, de quando em vez, se revoltasse com o que a cerca. Assim, a conceituação do estado mental deve ser a FUGA DA REALIDADE.
            Pensando dessa forma, conclui-se que algum fato, ou alguns, do passado, de responsabilidade ou coadjuvância do paciente, persegue-o a cada momento e a única forma de satisfazer a sua necessidade cerebral da satisfação* é ir em busca da FUGA DA REALIDADE. Assim é bom evitar durante a vida deixar casos mal resolvidos, como sejam negar a paternidade, ou qualquer outro crime ou até atitudes deploráveis que o venha perseguir como um remorso que desafie a sua própria existência. Um mal caráter jamais sofrerá do mal de Alzheimer!

*Nosso cérebro cuida de dar sempre satisfação ao nosso viver.