AS MAIS LIDAS DA SEMANA

AS MAIS LIDAS DA SEMANA
AS MAIS LIDAS DA SEMANA

terça-feira, 14 de junho de 2011

COMO SEMPRE, O GOVERNO DANDO UMA DE MESTRE!



Hoje a educação superior tem sido ministrada sem o mínimo investimento na didática do professor que, na maioria, são mestres ou doutores, e por isso se acham bastante preparados para a função. Essa prepotência, que inibe uma atitude na área pedagógica das faculdades, deve-se à insistência dos órgãos de educação do governo em super valorizar a qualificação teórica dos professores universitários sem exigir dos mesmos uma preparação na área de maior importância: a transmissão do conhecimento.
Sendo assim, grande parte dos professores dá aulas pobres com pouca didática e um nível de compreensão pouco acessível ao alunado, ratificando a falta de domínio na arte de ensinar desses mestres e o alto custo dessas aulas. Some-se a esse quadro o tempo que separa o doutor de sua graduação, levando-se em conta, inclusive, todas as mudanças ocorridas no período.
Esses fatos emergem no momento da aplicação das “provas”, quando não se cobre a matéria dada e as perguntas não questionam o usual, mas vão a detalhes que não são formativos. O costume dos quesitos dos exames no mestrado ou doutorado, que normalmente são extraídos de um ponto sorteado, faz com que esses professores ajam na graduação de forma igual. Um fato que se deve lembrar é que, na graduação, não são feitos exames de pós, mas sim, avaliações que devem levar os alunos a construírem o conhecimento, baseado nas informações e nos diálogos acontecidos durante as aulas.
A solução para essas falhas é agregar aos mestres e doutores conhecimentos didáticos que devem ser passados por pedagogos que dominam os conhecimentos de como melhor fazer fluir a interação entre os alunos e os professores. O ensino de hoje pelo caudal de informações necessárias ao formando deve demandar principalmente a construção do saber, pois só assim o futuro profissional será capaz de acompanhar as rápidas mudanças que acontecem no dia a dia.
Outro fato que deve ser lembrado é que a grande maioria das escolas superiores tem adotado, para complementação da carga horária, disciplinas a distância. Nesses casos, 1,5 horas de instrução via teleaula terão de ser completadas com 7 horas de dedicação, via satélite ou virtual, na execução de exercícios. Dessa forma essas aulas tornam-se meras reproduções para todo o território nacional, pouco se cuidando das especificidades de cada região, inclusive, o vocabulário. Isso produz uma grande economia para as escolas e pouco aproveitamento para o aluno, que continua pagando o preço do ensino presencial com horas de aulas ministradas a distância. São os “grandes avanços” da educação superior nos dias de hoje.
Todo esse caos que se começa a sentir junto aos profissionais mais jovens nas principais áreas do conhecimento é consequência dessas mudanças sem fundamentação estabelecidas pelos comandantes da educação no Brasil. Assim, os educadores são tragados por empresários que podem bancar a cara educação e, dessa forma, diversificar seus negócios. O Governo que via a educação como uma instituição diferenciada, inclusive exigia que as mantenedoras das escolas não tivessem fins econômicos, hoje, incentiva a mudança de seus estatutos para que tenham fins lucrativos e paguem mais impostos ainda ao Estado.
Infelizmente esse será o legado para os nossos descendentes, grandes grupos econômicos utilizando a tecnologia comum, barateando seus custos e sucateando o saber!

4 comentários:

  1. "Brincar é condição fundamental ser sério"(Arquimedes). É conhecido dentro da medicina pediátrica o projeto mãe-canguru onde se põe em contato a mãe e o filho, retirando-o da incubadora estimulando o tato, a visão, o olfato e o paladar,garantindo um desenvolvimento mais rápido do recém-nascido em fase de recuperação. O sucateado, Dr.Wilson, começa hoje em dia em sociedade que as crianças já "nascem"(""-Quem estimula?) querendo vídeo-games e internete deixando-se de lado outras atividades socializadoras e lúdicas conjuntas e com isto perde-se desenvolvimento em outros campos de visão cognitiva. Interessante sua observação para que haja uma intervenção de psico-pedagogos junto ao corpo docente do mestrado e doutorado. Defenderia até mais além que o mal tem inicialização mais profunda na sistematização teórica desatrelada à prática desde o ensino fundamental e médio onde a interação com a prática é pouca ou inexistente(dá-se aí a fama de brasileiro ser ruim de Matemática e Física,CADÊ O EMPÍRICO?Rio Grande do Sul saiu na frente? Sim, mudança de didática e não desigualdade regional!). Sempre tenho comentado aqui em seu blog como leiga, pouco conhecimento na área de educação, apenas tendo cuidado de pequenos(babá), e mais pelo prazer do diálogo que estimule o bom senso para que as coisas aconteçam. O problema não é que o capitalismo capitalizou a educação, dentro da psicologia neoliberal isto também tem seu limite, é problema didático mesmo e muitas vezes com origem desde o ambiente familar e social da criança. A vida funciona através da prática, o empírico tem que estar em ambiente acadêmico,isto auxilia não só a assimilação do conhecimento existente mas vai estimular ainda a geração de novos conhecimentos de fronteiras através de uma elaboração didática que estimule o pensar com fundamentos e respeite as especificidades de cada um . Às vezes nos tornamos adultos e, apáticos , esquecemos o saber adquirido para se atingir esta fase(coríntios13:11 quando eu era menino,falava como menino,sentia como menino,discorria como menino,mas,logo que cheguei a ser homem, acabei com as coisas de menino)...TEMOS QUE CONTEMPLAR MAIS A SABEDORIA DAS CRIANÇAS MATERNAIS SE QUISERMOS SER VERDADEIROS MESTRES E DOUTORES!
    Excelente seu texto!
    Apreciadora de seus escritos e moradora doftepamarelo,Clau.

    ResponderExcluir
  2. Genial como sempre.
    Como dizia Agatha Christie através do personagem Inspetor Hercule Poirot:
    "Para começar a investigação deve-se perguntar a quem interessa o crime".
    Vivemos uma Republica Sindical que se organiza a partir de interesses corporativos que se escondem além do primeiro horizonte.
    Isto é muito mais daninho do que parece á primeira vista.
    Professores têm um grande valor na FORMAÇÃO da cidadania e na construção de uma sociedade moderna e competitiva e devem ser reconhecidos por esta importante obra social.
    Entretanto, as oportunidades que se criarão para grupos de ensino de pequeno porte regionalizados e com uma proposta mais harmonizada com o momento economico e social do mundo farão a diferença.
    Foi assim com a concentração e cartelização das cervejarias no Brasil.
    Parecia que seria um mercado monipolizado.
    O que de fato aconteceu foi o contrario: dezenas de pequenas cervejarias regionais, atentas as oportunidades de mercado criadas, brotaram por todo o país.
    Aí estará o caminho.
    Como dizia o poeta espanhol Antonio Machado:
    " Caminante , no hay camino. El camino se hace al andar "

    Abração.

    ResponderExcluir
  3. Quem estimula? É ISSO, elementar meu caro França: A cerveja está para o copo E INEBRIA OS SENTIDOS, a educação está para as mentes(VEJA O ABSURDO!), então essa corporativização é ALIENANTE:tODOS PARA A CASA VERDE! Mostre-me os dedos e seus respectivos anéis e te direi das possibilidades frutíferas.
    É isso, atentos ao meio que nos cerca e suas necessidades. E uma frase em latim de um poema de Horácio popularmente traduzida para "colha o dia" ou "aproveite o momento"...Carpe Diem!
    E para relaxar o casquinho de carangueijo nosso com a geladinha regional!QUE MARAVILHA!rsrsrs... é um privilégio à leiga dialogar com pessoas circunspectas e de bom gosto!rsrsrs mdfte

    ResponderExcluir
  4. Parabéns Dr. Wilson!

    ResponderExcluir