AS MAIS LIDAS DA SEMANA

AS MAIS LIDAS DA SEMANA
AS MAIS LIDAS DA SEMANA

sábado, 2 de novembro de 2013

RESULTADO DO ENADE


            O MEC divulga o resultado do ENADE do ano passado, após as escolas terem melhorado o seu desempenho durante mais um ano de práticas acadêmicas construtivas. O pior está por vir, quando em dezembro as notas serão divulgadas para toda a sociedade que, por falta de informação, associará a nota exposta à situação atual da escola. O resultado é a perda de alunos que engrossam os vestibulares das Federais e que, de forma mágica, tiram sempre notas maiores. O que não se entende é apenas 5,4% das instituições tirarem a nota máxima e 30% absorverem o conceito insuficiente, significando isso que a curva Normal ou de Gauss, que deveria acontecer definindo cada um dos cinco conceitos, não ocorre. Assim as decorrências de milhares de avaliações, número que segue estatística, não condizem com um resultado que apontaria para um exame justo. Esse resultado mostra que essa avaliação só beneficia muito poucos, inclusive, em sua maioria, tendencioso para as universidades federais.
Índices dos cursos avaliados do Enade
Conceito
Públicas
 
Privadas
 
Total
Nota 5
17,0%   
  3,5%      
  5,4%
Nota 4
29,8%  
17,3% 
19,0%
Nota 3
33,7% 
45,6%  
43,9%
Nota 2
14,4%   
29,4%  
27,3%
Nota 1
  3,6%
  2,5%       
  2,7%
Sem nota                     1,6%                         1,8%                           1,8%                       



O quadro acima mostra as melhores notas para as públicas e as médias para as privadas. Isso significa que por melhor que seja a qualidade dos alunos das federais, 20% deles (2 e 1) não atingem a nota média. Comparados com os alunos das privadas, onde apenas 30% (2 e 1) não atingem a nota média, podemos dizer, levando em conta que seus alunos de início são menos preparados, que foi ótimo o desempenho da escola privada.
          Mercadante afirmou que o boicote está diminuindo e criticou alunos que apenas assinam a prova. “O boicote propriamente, nós quase não temos. Antes nós tínhamos em torno de 20% dos estudantes das instituições aqui, no caso não participavam do Enade. Hoje é muito residual essa situação, mas temos ainda alguns estudantes que fazem o Enade, porque se não o fizerem não poderão se formar, mas simplesmente apenas assinam a prova e prejudicam todos os outros que estão se esforçando a fim de garantir uma boa nota para a sua instituição. Então, quem entrou e assinou, perdeu. Não vai se formar”.
          O Questionário do Estudante, de preenchimento obrigatório, é o grande vilão que compõe a nota do ENADE. Pois, com perguntas capciosas, leva os alunos a responderem sem maldade e o resultado é que a pontuação só é feita quando as respostas apontam para “mais do que suficiente” na satisfação das disponibilidades dos serviços educacionais prestados pela escola. Sejam esses tais como número de livros da biblioteca, número de computadores, número de salas de multimeios, e assim por adiante. É claro que jamais uma instituição disponibilizará qualquer serviço mais do que suficiente e qualquer pessoa a qual recebe dizer que está recebendo mais do que suficiente! Aí está o grande motivo das notas baixas. Já ensinei há mais de 31 anos na UFPE e jamais nada aconteceu mais do que suficiente naquela universidade federal. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário